segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Fábula de Esopo - "A Galinha dos Ovos de Ouro"

A galinha dos ovos de ouro



Certa manhã, um fazendeiro descobriu que sua galinha tinha posto um ovo de ouro. Apanhou o ovo,
correu para casa, mostrou-o à mulher, dizendo:
_ Veja! Estamos ricos!
Levou o ovo ao mercado e vendeu-o por um bom preço.
Na manhã seguinte, a galinha pôs outro ovo de ouro, que o fazendeiro vendeu a melhor preço. E assim
aconteceu durante muitos dias. Mas, quanto mais rico ficava o fazendeiro, maisdinheiro queria. E pensou:
"Se esta galinha põe ovos de ouro, dentro dela deve haver um tesouro!"
Matou a galinha e, por
dentro, ela era igual a qualquer outra

(Êsopo)



Êsopo foi um lendário fabulista grego a quem se atribui muitas  conhecidas Fábulas    e  um atento observador do comportamento humano e suas falhas.

Nessa Fábula muito conhecida - A Galinha dos ovos de ouro, fala basicamente da grande facilidade que temos para destruir nosso próprio sucesso.

Ovos de ouro são todos os bens suficientes ao nosso redor e que tornam nossa subsistência e satisfação possíveis, pelo menos é assim que penso.
Um dos casos mais notórios que sobejamente retrata essa fabula presente em nosso cotidiano é o caso  Richthofen; em que a jovem Suzane em atitude tresloucada comanda a morte de seus pais para supostamente auferir de todas as vantagens econômicas amealhadas por eles e que com certeza seria dela no futuro.
Ora, como donos de pequenas galinhas de ovos de ouro, - nosso trabalho; nosso
sucesso individual, proximidade com expoentes -  ainda que assim não o consideremos, estamos sempre conspirando contra nossa galinha , quer via atos  contra o grupo, rixas entre departamentos, brigas dentro do nosso proprio departamento etc. Eu acho que a ambição talvez  seja um dos motores para a busca desenfreada de um  poderio cada vez maior.

Em nosso grupo familiar, essa imagem parece quase sempre estar presente, os expoentes no núcleo familiar parecem incomodar sobremaneira e substituímos amiúde nossa forma de admiração , pela cupidez, inveja e ambição; o melhor do outro diretamente nos incomoda.

In suma, Êsopo fala sobre ganância, inveja, cupidez, a sanha desmedida consciente ou inconsciente de ter tudo ou atrair pra si todas as riquezas ou de nossa insatisfação pessoal de considerar que o Suficiente é pouco.


por Edson Ovidio

Um comentário:

cleberbinhocorpotamentos disse...

ola colega essa galinha vale ouro mesmo
ja estou te seguindo
se quiser me seguie agradeço
http://cleberbinhocomportamentos.blogspot.com/