domingo, 17 de abril de 2011

MEDOS

Medo




"Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo"
Nelson  Mandela

 “... Nossas dádivas são traidoras e nos fazem perder os bens que poderíamos conquistar se não fosse nosso medo de tentar”.
William Shakespeare

De todas as paixões baixas, o medo é a mais amaldiçoada
William Shakespeare

"Porque aquilo que eu temia me sobreveio, e o que receava me aconteceu. Nunca estive descansado, nem sossegado, nem repousei, mas veio sobre mim a perturbação."

Acredito que todos temos medo da vida!  Medo das surpresas na próxima esquina ou do  ritmo frenético do nosso cotidiano, de seus muitos embates e do futuro. Tememos o não havido, o não acontecido ou tudo  o que fuja a nossa compreensão. Há uma gama enorme de medos e receios e possivelmente percamos muito tempo tropeçando em temores residentes em nós mesmos como se fossem âncoras e não propriamente um sentimento debitado na conta de nossa falta de capacidade de enfrentamento.
Cada espaço bravamente conquistado gera em nós a satisfação de estar e de gozar aquele instante , como se fosse durar pra sempre, todavia no momento seguinte temos de nos mover incontinentemente, agregando saberes, novas competências, novos desafios, conquistar seguranças e criar a cada fase uma nova área de conforto.
A cautela a cada nova fase e a precaução a cada caminho, talvez em alguma etapa de nossas vidas transformem-se em temores exacerbados e interfiram em nossas lutas, batalhas e enfrentamentos diários.
Nossos medos talvez nos antecedam e bloqueiem o acesso a tudo o que de bom possa estar escondido no futuro em muitas reais oportunidades e definitivamente lançar raízes tão profundas no nosso agora que inexoravelmente ficamos inertes nesse mesmo instante, sujeitos a ferrugem de ideais, ao mofo de nossas ousadias, relegados ao passado enquanto tudo passa vertiginosamente a nossa frente.
Será que nosso instinto de preservação não anda interferindo demais em decisões que francamente não causam dano a vida, mas sim promovem um próximo instante de conquistas consolidadas?

É certo que os desafios da vida moderna tem tornado muitas pessoas escravos do medo; medo da derrota, da desonra. Devemos seguir vivendo com a precaução costumeira porém seguir recolhendo  ancoras, posto que a vida  é feita de desafios. Tão maiores serão os desafios, quão maiores for nossa percepção do que jaz a frente, todavia nada excede além do que podemos.
O senso da vida prática pede determinação e força e há muito ainda a conquistar, há terrenos do conhecimento a serem cultivados e havemos de ser homens de coragem para que possamos chegar até mais longe e poder ter a primazia de descobrir, avançar um pouco mais.  
Todo porto seguro é apenas um ponto efêmero em nossa jornada de conquistas O legado do medo é a derrota e estagnação; entretanto o medo se perde quando ousamos alçar voo um pouco mais acima do nosso limite.

 Portanto, ouse!

Por Edson Ovidio

2 comentários:

T.S.S. disse...

Você falou algo sobre como ficamos acostumados com nossa vidinha de sempre e eu lembri que muitas vezes, Deus nos tira da nossa zona de conforto. Isso dá uma baita medo, mas é necessário de a gente quiser amadurecer e ver além. Tem frases aqui que gostei muito, uma delas é "Será que nosso instinto de preservação não anda interferindo demais em decisões que francamente não causam dano a vida, mas sim promovem um próximo instante de conquistas consolidadas?".E os desenhos estão muito legais.Parabéns !

T.S.S. disse...

A música também é linda !